MIXLAB Spcine

Nos dias 14 e 15 de novembro, o Mix Brasil promove o MixLab Spcine no Instituto Itaú Cultural. O evento é um encontro entre realizadores das mostras do festival e outros profissionais do cinema brasileiro e estrangeiro, especialmente convidados, que visa o intercâmbio de experiências e relações profissionais, através de apresentações, palestras e debates.

Dia 01: Apresentação e Panoramas
Mesa Sinopse Convidados
Apresentações A abertura do MixLab Spcine propõe uma apresentação de todos os convidados participantes do Lab. Nela, cada participante será convidadx a apresentar. de forma breve e sucinta. a si e à obra ou instituição que representa no Festival. ---
Panorama de festivais O MixLab Spcine recebe convidados nacionais e internacionais para traçar um panorama do funcionamento de alguns dos mais relevantes festivais do cinema mundial. O painel conta com Desiree Buford – diretora de exibição e programação no Frameline (Festival Internacional de Cinema LGBT de São Francisco), o mais antigo festival de cinema dedicado à cultura LGBT do mundo –, Ana David – ex-codiretora e programadora do Queer Lisboa, um dos mais reconhecidos festivais de cinema queer do mundo, e atual coordenadora do festival Doclisboa –, e Gustavo Scofano – responsável pela programação e curadoria do Festival do Rio. Uma grande oportunidade para todos os realizadores audiovisuais, com uma perspectiva interna sobre como se dá a inscrição, seleção e os principais critérios dos festivais que conhecemos. Desiree Buford, Ana David e Gustavo Scofano
São Paulo Film Commission Saiba mais sobre a São Paulo Film Commission, departamento da Spcine criado com o objetivo de centralizar as solicitações de filmagem em São Paulo, estimulando assim a produção audiovisual na cidade. Tammy Weiss e Daniel Celli (São Paulo Film Commission)
Spcine - Mercado nacional e internacional Uma conversa sobre mercado com quem mais entende do setor audiovisual em São Paulo – a Spcine. No 1º MixLab, Eduardo Raccah, coordenador internacional da empresa, traz uma análise dos mercados de cinema de dentro e fora do Brasil. Eduardo Raccah (Spcine)
Dia 02: Encontros
Mesa Sinopse Convidados
Produção no cinema Dentro das etapas de realização da obra audiovisual, o MixLab Spcine vai discutir as vertentes da produção ao receber Diana Almeida, uma das juradas da Mostra Competitiva Brasil do Mix e produtora do longa "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho" (2014) – indicação brasileira para concorrer ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2015 e vencedor de prêmios no Festival de Berlim, LA Outfest, Festival Frameline (São Francisco), entre outros. Diana Almeida
Desenvolvimento de projeto: Roteiro e Direção Kiko Goifman e Claudia Priscilla, ambos diretores e roteiristas, apresentam uma mesa na qual irão expor os processos de criação e desenvolvimento de uma obra cinematográfica, por meio de um case de seu filme documental "Olhe Pra Mim de Novo", produzido em 2010, vencedor do prêmio de Melhor Documentário no 19º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade e indicado para o Prêmio Teddy de Melhor Documentário, em Berlim. Kiko e Cláudia dirigiram o filme juntos, com roteiro da própria Cláudia. Kiko Goifman e Claudia Priscilla
Atuação A segunda mesa do "Encontros" traz dois convidados especiais, o ator australiano Murray Bartlett e a atriz, intérprete, e escritora brasileira Tuna Dwek, para discutir os processos de atuação em TV e cinema. Cada convidado traz um vasto repertório para essa discussão, ambos tendo se envolvido com diferentes formatos artísticos ao longo de suas carreiras. Um encontro muito especial que vale a pena presenciar. Murray Bartlett e Tuna Dwek
Pós-produção Iniciando a conversa sobre pós-produção, o MixLab Spcine apresenta uma mesa sobre edição e finalização. Como encarar horas de material e tranformá-las em uma obra coesa? Como se inova na ilha de edição? O indicado ao Oscar Daniel Rezende ("Cidade de Deus", 2002) guia este encontro, trazendo para o Lab sua experiência com diretores como Terrence Malik ("A Árvore da Vida"), Fernando Meirelles ("Cidade de Deus" e "Ensaio sobre a Cegueira") e Walter Salles ("Diários de Motocicleta", "Na Estrada", entre outros). Daniel Rezende
Distribuição Depois de todas as etapas que resultam num filme, é necessária uma mediação específica para que ele possa ser finalmente entregue ao público. O segundo dia do MixLab Spcine encerra-se com a etapa final da produção audiovisual, a distribuição: quando o filme finalmente encontra o público. Silvia Cruz, sócia-fundadora da Vitrine Filmes, é a convidada nesta mesa que expõe como encontrar as melhores opções de distribuição para seu filme. Silvia Cruz

Convidados

DESIREE BUFORD

Des Buford comanda o Frameline, organização responsável pelo Festival Internacional de Cinema LGBT de São Francisco. Ponto de conexão entre artistas e plateias em São Francisco e no mundo todo, Des curte o poder transformador do cinema queer e da produção de imagens.

GUSTAVO SCOFANO

Formou-se em Comunicação Social pela UFRJ. Atualmente, ocupa o cargo de Diretor de Programação no Festival do Rio e é sócio da produtora Estoril Filmes. Por conta do trabalho no Festival do Rio, participou, nos últimos sete anos, de festivais como Cannes, Berlim, Mumbai, Havana, entre outros. Fez parte do júri do Teddy Award, em 2015.

ANA DAVID

Programadora de cinema; atualmente coordena o LISBON DOCS - Fórum Internacional de Financiamento e Co-produção de Documentários. Foi co-diretora e programadora no Queer Lisboa – Festival Internacional de Cinema Queer durante três edições, tendo servido como júri em festivais internacionais. Viveu em Paris durante dois anos onde colaborou até 2016 com o Festival Scope.

TAMMY WEISS

Tammy Weiss cursou Arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e formou-se em Artes Plásticas pela Unisanta. Atuante no mercado audiovisual há 20 anos, iniciou a carreira como produtora de programas de TV. Já atuou em mais de 500 produções audiovisuais pela Santos Film Commission, que implantou em 2007 na cidade paulista. É coordenadora do Instituto Querô, desde 2006, e da São Paulo Film Commission, departamento receptivo de produção audiovisual da Spcine.

DANIEL CELLI

Daniel Celli trabalhou durante quase dez anos com a produção de festivais e eventos de cinema em São Paulo, como a Mostra Internacional de Cinema e o Festival de Cinema Latino-Americano. Produziu o Rendez-Vous de Animação, iniciativa conjunta da Spcine, da Embaixada da França no Brasil e do festival Anima Mundi. Atualmente trabalha na Spcine, como assessor da São Paulo Film Commission, coordenando o atendimento aos produtores.

EDUARDO RACCAH

Formou-se em Novas Mídias na Hochschule für Künste Bremen, na Alemanha. Passou 12 anos trabalhando em Berlim, onde pôde formular, produzir e gerenciar inúmeros projetos no setor audiovisual, tendo dedicado os últimos quatro anos à distribuição. Voltou para São Paulo em 2013 e, desde então, trabalha na Spcine como coordenador internacional.

KIKO GOIFMAN

Kiko Goifman é antropólogo pela UFMG e mestre em Multimeios pela UNICAMP. Dirigiu os longas-metragens "33" (2004), "Atos dos Homens" (2006), "FilmeFobia" (2008), "Olhe Pra Mim de Novo" (2012) e "Periscópio" (2013). Realizou diversas instalações, trabalhos de internet art e performances. Atualmente, é coordenador geral da série "Transando com Laerte", do Canal Brasil.

CLAUDIA PRISCILLA

Diretora, roteirista e produtora, nasceu em 1972. Mora em São Paulo. Jornalista de formação, seu primeiro longa foi o documentário "Leite e ferro", sobre a maternidade na prisão. Em parceria com Kiko Goifman, dirigiu também o longa "Olhe pra mim de novo", um road movie pelo sertão do Nordeste brasileiro, protagonizado por um homem transexual. O foco de seu trabalho como diretora é a discussão de gênero.

MURRAY BARTLETT

Ator australiano. Vive em Nova Iorque e, recentemente, ficou conhecido por seu papel como Dom na série da HBO “Looking”. Estudou interpretação no Instituto Nacional de Arte Dramática (NIDA), em Sydney, e estrelou diversos filmes, programas de TV e produções de teatro renomados. O ator voltará à cena na próxima série da Netflix “Iron Fist” e na série da CMT “Nashville”.

TUNA DWEK

Poliglota, é atriz de teatro, cinema e televisão, crítica de cinema, intérprete em eventos internacionais e escritora. Tem no currículo mais de 40 peças e leituras encenadas, 20 filmes, 15 novelas e minisséries. Tuna foi condecorada pelo governo francês, em 2011, como Chevalier dans l´Ordre des Arts et des Lettres.

DIANA ALMEIDA

Produtora brasileira-moçambicana que mora e trabalha em São Paulo. Nasceu em Maputo em 1983 e formou-se na Escola de Comunicação e Artes da USP. Em 2006, participou da fundação da Lacuna Filmes, com Daniel Ribeiro, com quem produziu vários curtas. Em 2014, Diana lançou como produtora executiva o longa "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", dirigido por Ribeiro. O filme teve a sua estreia mundial na Berlinale, recebendo os prêmios Fipresci e Teddy, e foi exibido em mais de 80 festivais.

DANIEL REZENDE

Reconhecido como um dos melhores montadores do cinema brasileiro, venceu o Bafta Film Award – prêmio da Academia Britânica de Artes do Cinema e da Televisão – e foi indicado ao Oscar de Melhor Montagem por seu trabalho no filme "Cidade de Deus". Ele foi responsável pela montagem de outros sucessos nacionais e internacionais, tais como "O Ano em que meus Pais Saíram de Férias", "Ensaio sobre a Cegueira", "Tropa de Elite" (1 e 2), "A Árvore da Vida" e "RoboCop". Também atuou como diretor da série de televisão "Fora de Controle" e diretor geral da série "O Homem da sua Vida", que será exibida pela HBO. Atualmente, está em processo de montagem do seu primeiro longa-metragem como diretor, “O Rei das Manhãs."

SILVIA CRUZ

Em 2010, fundou a Vitrine Filmes – empresa dedica à distribuição de filmes, sobretudo brasileiros, que se estabeleceu no mercado com um elogiado catálogo de mais de 60 títulos, entre os quais estão “Hoje eu Quero Voltar Sozinho”, de Daniel Ribeiro, e “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho. Antes disso, também trabalhou com distribuição na Pandora Filmes e na Europa Filmes, e foi programadora do Cineclube Belas Artes.

PARCEIROS

Sempre um recomeço

O Brasil tem passado por um momento muito delicado na economia e, principalmente, na política. A crise afetou a produção cultural e, sobretudo, os festivais espalhados por todo o país. Conosco não foi diferente.

Mesmo em tempos de dinheiro curto, conseguimos manter presença em festivais internacionais e nacionais, buscando, mais do que nunca, fortalecer parcerias para que pudéssemos trazer o melhor do cinema e da cultura da diversidade mundial para o público do Mix Brasil.

CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS
VIDEOCLIPE 23ª EDIÇÃO
TWITTER
FESTIVAL MIX BRASIL   |   CONTATO: MIXBRASIL.INFO@GMAIL.COM